Amamentar vale ouro

aleitamento-materno-1024x576

O leite materno é o melhor alimento para os recém-nascidos, já que apresenta as concentrações adequadas de proteínas, lipídeos, carboidratos, eletrólitos e nutrientes, contribuindo assim para o processo de digestão com menores taxas de infecções intestinais, alergias alimentares, doenças auto-imunes e obesidade infantil. Estudos mostram melhor coeficiente intelectual nas crianças que mamaram no peito, assim como menores taxas de problemas com a mastigação, oclusão dentária e apneia do sono. Sem contar no estreitamento do vínculo mãe-filho, que reduz a frequência de abuso, negligência e abandono dos recém-nascidos.

Os benefícios são muitos, e provavelmente a maioria das pessoas já sabe ou já ouviu falar a respeito… o que não é muito sabido para as mães de primeira viagem são as dificuldades que a gente pode encontrar pelo caminho… Nem sempre o processo da amamentação é fácil e flui naturalmente. Nos primeiros dias após o nascimento, a maioria das mamães recém-nascidas encontram desafios como acertar a pega do bebê ao seio, a posição mais confortável para segurar o seu filho… a maioria tem dúvida se o bebê mamou o suficiente e qual o intervalo ele deve fazer entre as mamadas… a insegurança é um sentimento muito comum entre as puérperas, que estão pela primeira vez lidando com uma situação completamente nova, estão aprendendo, e que então precisam ter consciência de que é um caminho de aprendizado para ambos, mãe e bebê. Este também leva uns dias para aprender a mamar, mesmo sendo nato o reflexo da sucção.

A pega adequada é o principal fator para uma amamentação de sucesso. Quando ela acontece, o bebê mama com eficácia, fica satisfeito, ganha peso corretamente, espaça as mamadas, estimula uma produção de leite adequada, e evita as fissuras nos mamilos que são tão dolorosas e que podem levar a um quadro de infecção da mama (mastites). Muitas vezes a puérpera precisa de auxílio e supervisão de um profissional para conseguir a pega perfeita. Enfermeiras, obstetras e os pediatras são as pessoas mais indicadas nessa tarefa.

Atualmente o recomendado pelos pediatras é amamentação em livre demanda, isso é, o quanto o bebê quiser e com o intervalo que quiser. Isso porque o seio não é somente fonte de alimento mas também de acalento, proteção e calor físico, além de alguns bebês terem grande necessidade de sucção nos primeiros meses de vida. Essa livre demanda nem sempre é fácil, já que é uma rotina bastante extenuante fisica e emocionalmente. Por isso costuma-se dizer que é uma fase em que as mulheres precisam de bastante ajuda, de amparo, de carinho e de pessoas próximas que a apoiem e a encorajem a amamentar e que a auxiliem nas tarefas de casa e com o recém-nascido, para que assim possa descansar e ter assim sua produção láctea garantida. Afinal , para produzir leite precisamos basicamente de duas coisas : um bebê que suga bem e sossego!! A mãe precisa descansar para amamentar!!

A sociedade brasileira de pediatria recomenda o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses completos, isto é, neste período o bebê não precisa de nenhum outro alimento, nem líquido. Após os 6 meses, inicia-se a introdução alimentar mas o leite materno ainda pode ser mantido até os 2 anos de idade da criança. Nessa fase a mulher também deve tomar alguns cuidados com a alimentação, uso de medicamentos e produtos químicos, pois muitas substâncias passam para o bebê pelo leite materno. É sempre recomendado a orientação de um especialista nesses casos.

O leite materno também pode ser ordenhado e congelado por período de 15 dias em congelador, e pode ser oferecido em copinho ou mamadeira na ausência da mãe. Dessa forma quando q mãe precisa voltar a trabalhar, ou em dias nos quais precisa de um descanso maior na madrugada, o leite pode ser oferecido por outra pessoa, a mamãe fica de coração tranquilo e garante assim o aleitamento exclusivo. Além de todos os benefícios citados, vale ressaltar que o leite materno é de graça, já sai pronto para tomar e está sempre onde a mamãe está, sendo assim uma vantagem econômica e ambiental, além de facilitar a vida da família, já que a mãe pode amamentar onde estiver!

Não deixe de amamentar o seu bebê! Se apresentar dificuldades busque ajuda especializada! Leia a respeito! Informe-se! Amamente!! Esse é o maior ato de amor da maternidade!

Dra. Roberta Arilla Bocchi
Clinica Ser Mulher

ass-icone-ser-mulher

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *